segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Poemas

    Fragmentos de amor

Pedaços de corações, quebrados jogados ao chão como estilhaços de cristais partidos
Já é madrugada e eu aqui, está frio, estou só, está triste, choro em dó;
Lembro-me de outra ocasião, só lamentos, uma lágrima tende a cair no chão.
Vai ser a última lágrima, a última que se deleita em passear pela minha face.
À distância, o que apesar de não ser remédio pode curar a dor, dor de uma alma ferida.
O que é mortífero nem sempre se ataca pelo exterior, mas vem destruindo desde a alma passando pelo coração e saindo pelos olhos em forma de lágrimas.
Restos de um amor que vem se modificando, como o magma em contacto com água fria, vem se solidificando dentro de um ser, dentro de um coração tornando-o assim, rocha.
  Autor: Rodrigo da Silva Júnior

4 comentários:

  1. Amei Rodrigo! haja coração viu?
    e espiração também, continue assim...
    voçê vai longe...
    beijos

    ResponderExcluir
  2. mt obg.. Rosy. vlw msm. Aaa e em breve posto o seu.. OK! bjuux

    ResponderExcluir
  3. Claro que eu gostei de todos, mas esse foi o meu eleito.
    Boa sorte na sua jornada.

    ResponderExcluir
  4. hehe!! obg, fico feliz que gostou, vlew mesmo.

    ResponderExcluir