segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Poemas


   A Guerra

Vivemos em guerra constante;
Não temos paz em nenhum instante;
O homem pensou que seria vencedor;
E começou a destruir tudo sem amor;

As desgraças em constantes crescimentos;
Drogas, sangue, mortes e armamentos;
Secas, furacões, alagamentos e deslizamentos;
Nada suporta, não existe sustento;

A natureza tem revidado;
Com o homem ela tem acabado;
Mesmo estando armado ou desarmado;

Entra Janeiro e chega Dezembro;
A destruição e a desgraça é em massa;
Poucos percebem, porém todos estão vendo

Autor: Rodrigo da S. Júnior 

Nenhum comentário:

Postar um comentário