terça-feira, 12 de julho de 2011

Poemas

                                

           Lágrimas

Já chorei e sofri simplesmente pensando em ti;
Querendo saber quando irei sorrir;
As amordaças da solidão querem me sufocar[
Acabar com o amor, fazê-lo ser apenas uma ilusão.

Quando raiar a aurora de um novo dia eu ainda[
Estarei aqui no mesmo lugar somente pra te amar;
Ja esqueçi o doce de um sorriso pois entre o sal das[ 
lágrimas não ouve-se um sussurro de riso;

De repente surge algo tão reluzente será sol?[
Será a lua? Será o fim? Ou o começo? O que será esta luz pra mim;
És meu farol, meu guia noite e dia!;

Estou fraco, estou só, dê-me sua mão;
 acalenta o meu coração, tire-me dessa solidão;
O fardo é pesado os meus ombros calejados;

Meus pés feriram-se com os espinhos na caminhada da vida.
Você é a cura da minha alma abatida;
Tudo pra mim, o colorir da minha vida.

Autor: Rodrigo da S. Júnior

Nenhum comentário:

Postar um comentário